23 de ago de 2013

CONARH 2013: Se essa empresa fosse minha – as inquietudes do RH

Cícero penha falou sobre as angústias do RH

Cícero Penha
Vice-presidente de Talentos Humanos do Grupo Algar apresentou, de forma descontraída, as principais angústias que tiram o sono de qualquer profissional de RH. Ele falou sobre a eterna dúvida: estratégico ou operacional? Para ele, é necessário o equilíbrio das duas coisas.

A área de Talentos Humanos precisa ser contributiva para ser respeitada, é preciso estar perto do CEO para ganhar força e mesmo como RH é possível gerar valor para a marca. A dica de Penha é que a estratégia comece por você, para isso é necessário estar preparado para a função, saber construir aliados, ser parceiro das lideranças para ter um diálogo aberto, fazer o óbvio bem feito e saber agir como educador.

Ele brinca que para trabalhar com RH é necessário ser apaixonado pelo que faz, pois, para ele, é uma profissão pastoral. Ressalta ainda que é dever da área assegurar um bom clima organizacional e não permitir a destruição de valor do capital Humano. Como exemplo ele usou o gestor que demite alguém porque está nervoso, sem justificativas fortes.

Talento custo ou investimento? O Brasil tem uma média de 38% de universitários que são analfabetos funcionais. É necessário investir na educação para Penha, assim como também é preciso entender que os ganhos são, em grande maioria, intangíveis, a educação se mede por percepção, ressaltou ele.

Outros pontos discutidos em sua palestra é o corte de gastos frequentes, como fazer mais com menos? Só é possível melhorando a produtividade para isso é preciso estar atendo aos processos inadequados que tomam tempo desnecessário, a incompetência de alguns e o desvio de atenção no trabalho. Penha brinca do “demônio” que se tornou as redes sociais, mas acredita que o ideal não é proibir o uso, mas orientar.

O choque de gerações é inevitável, sendo que tanto o novo como o velho tem suas contribuições para o negócio. Ele comentou da dificuldade de se contratar talentos e apontou esse problema como socioeconômico e demográfico.

No Grupo Algar algumas medidas tomadas para trabalhar a retenção de colaboradores foi dar mais autonomia com responsabilidade, todos os processos com transparência, decisão por consenso, investimento em educação com uma universidade corporativa, recrutamento interno, entre outros. Para finalizar, Cícero Penha fala que, para ele, falta um bom feedback nas empresas e conversa educativa.



Nenhum comentário:

Postar um comentário